Assertividade e sua principal técnica

Seja o seu sim, sim; Seja o seu não, não. Esta é a essência da assertividade.

Uma pessoa assertiva é altamente confiável, pois sua fala é transparente, sempre exala verdade. A pessoa assertiva tem forte tendência em evitar a hipocrisia e a falsidade. Por possuir estas características de personalidade, uma pessoa assertiva inspira confiança e credibilidade. Credenciais, estas, vitais para o relacionamento interpessoal altamente produtivo e saudável.

Não pensemos que a expressão “seja o seu sim, sim; seja o seu não, não” significa que a linguagem da pessoa assertiva é autoritária e ditatorial. Muito pelo contrário. Uma das qualidades da pessoa assertiva é justamente o fato de ser transparente e verdadeira, sem desrespeitar o próximo, o que gera admiração e respeito.

Ser assertivo também significa o exercício do perdão e do auto-perdão. Bem como  em saber trabalhar em si a mágoa ou o ressentimento. Não é que a pessoa assertiva é isenta da mágoa e do ressentimento (o que seria impossível no atual estágio de nossa evolução humana), mas ela procura ter controle emocional para que sua comunicação seja receptiva.

Do livro Seja Assertivo!, Editora Alegro, de Vera Martins, extraio as seguintes informações:

“O comportamento assertivo é ativo, direto e honesto, transmitindo uma impressão de auto-respeito e respeito pelos outros.

ATIVO porque é um comportamento atuante, incisivo e decidido, ao contrário do reativo, que apenas surge quando é estimulado pela ação de outra pessoa.

Confira um exemplo do comportamento ativo:

  • – Chefe, machuquei meu pé e tenho que fazer fisioterapia duas vezes por semana. Não se preocupe, pois deixarei tudo organizado e você não será prejudicado na minha ausência.

Confira, agora, um exemplo de comportamento reativo e perceba o impacto nos resultados da comunicação:

  • – Maria, por favor veja uma passagem para Recife, na sexta-feira pela manhã, de preferência pela Gol.
  • – Chefe, não tem nenhum horário pela manhã.
  • – Maria, e as outras companhias aéreas?
  • – Ah, aí não sei. Preciso verificar.

O comportamento assertivo é DIRETO porque faz economia de palavras, não permitindo rodeios, justificativas e desculpas. Toda mensagem tem uma frase nuclear considerada como foco principal e somente ela deve ser comunicada. Quando usamos um excesso de palavras, corremos o risco de assumir a postura passiva e diluir a força da mensagem entre desculpas e justificativas.

Veja um exemplo de um comportamento não-direto.

  • – Mirtes, desculpe-me por ter-lhe chamado no final do expediente. Eu estava ocupada toda a tarde. Preciso falar com você algo muito importante. Como você está se sentindo? Bem, é desagradável ter que dizer isso. Afinal, você vem trabalhando conosco durante muito tempo e me sinto constrangida… Não é nossa vontade, mas infelizmente vamos ter que desligá-la do quadro de funcionários. Não fique chateada conosco.

Uma maneira mais adequada, de comportamento direto.

  • – Mirtes, como é do seu conhecimento, você não vem atendendo às novas demandas do trabalho. Por isso, quero comunicar-lhe que, a partir de hoje, você não mais fará parte do quadro de funcionários. Agradeço sua dedicação nesse tempo e conte conosco, caso necessite de recomendações.

O comportamento assertivo é HONESTO porque não usa artimanhas e manipulações para exercer influência.

Sobre o comportamento assertivo, Aristóteles diz: ‘Dar livre curso às paixões é permitir que os meios se apresentem como fins’.

Confira dois exemplos de comportamento direto e honesto:

  • – Assumo a responsabilidade pelo erro da remessa dos documentos. Não sei a resposta, posso pesquisar e responder em seguida.
  • – Seu problema necessita de uma análise mais apurada, mas, como o erro foi nosso, nada mais justo do que levarmos o documento correto até sua residência. Você aguarda até a tarde?”

As informações da autora Vera Martins, constantes nos parágrafos anteriores, mostram importantes qualidades da pessoa assertiva. Recomendo a leitura do seu livro (Seja Assertivo!, Editora Alegro), que é um clássico do tema assertividade.

 

Algumas características da pessoa não-assertiva:

a) Tem dificuldade para dizer não;

b) Evita conflitos;

c) É impaciente no ouvir;

d) Tem a sensação de ser um “engolidor de sapo”;

e) Fala duro e firme, e depois pede desculpas;

f)  Vence uma conversa pela insistência, não pelo conteúdo;

g) É mais de criticar do que de elogiar (ao outro e a si mesmo).

 

Algumas características da pessoa assertiva:

a) Não tem dificuldade em dizer não;

b) Não evita conflitos (se eles forem necessários) e sabe administrá-los;

c) Sabe ouvir;

d) Mais elogia do que critica;

e) Sua fala, por ser firme e respeitosa, não cria necessidade de pedir desculpa;

f)  Estimula a comunicação de mão dupla;

g) É comunicador por excelência.

Percebe-se pelas informações dos dois parágrafos anteriores que, dos três pilares do Diálogo, empatiaalteridadeassertividade, é esta última a mais difícil de exercitar, pois, muitas vezes a decisão de ser assertivo implica em adotar uma nova filosofia de vida.

Acreditar que as pessoas têm um imenso potencial a ser explorado e ser apaixonado pelo desenvolvimento delas, forma uma excelente base para o profissional passar a ser assertivo.

 

Sermos SINCEROS, SEM OFENDER, a principal técnica da assertividade.

A sinceridade é uma das mais importantes qualidades no relacionamento interpessoal, pois ela é fruto da transparência. E uma pessoa transparente, por mostrar-se como é, tende a conseguir melhores resultados na convivência, desde que seja transparente e comunicadora. Pois, se a transparência ou a sinceridade gerar ofensa, o outro não irá ouvir.

Quando alguém se valoriza dizendo: “Eu sou transparente”  ou “Eu sou verdadeiro” ou “Eu sou autêntico”, geralmente esta pessoa não é comunicadora e gera conflitos altamente destrutivos. Não que devamos fugir dos conflitos, pois, que eles são inerentes à convivência humana, mas, evitar os conflitos improdutivos, é sinal de sensatez. Lembremo-nos sempre que a regra é: É preciso, sim, que sejamos verdadeiros, transparentes, autênticos, sinceros, mas, sem ofender.

Se algum dia alguém chegar até você e dizer-lhe: “Falei tudo o que o fulano precisava ouvir!”. Você pode imaginar o que foi dito! Pior ainda, “como” foi dito!

Pergunte, então a essa pessoa: “Deu resultado?

Caro leitor, com certeza você irá ouvir como resposta uma frase muito parecida com esta: “Resultado não deu, mas que ele ouviu o que precisa ouvir, ouviu!

Como você já deduziu, o exemplo não é comunicativo, mas, sim, um clássico modelo de desabafo. O que só piora a situação de conflito. Portanto, temos que questionar nossa forma de sermos transparentes e sinceros. Antes de conversar com nosso interlocutor perguntemos  a nós mesmos: “Esta minha fala vai gerar ofensa?” Se a resposta for “sim”, temos que mudar a forma de falar sem abandonar a sinceridade e a transparência.

Você gosta que alguém lhe ofenda? Pois, os outros também não gostam de ser ofendidos. Então, nossa bandeira passa a ser: OFENSA, NUNCA MAIS!

 

Fonte: Por Alkindar de Oliveira. Assertividade e sua principal técnica.  http://www.alkindar.com.br/treinamento/negociacao-e-vendas/tecnicas-de-vendas/1213-assertividade-e-sua-principal-tecnica.html

How useful was this post?

Click on a star to rate it!

No votes so far! Be the first to rate this post.

As you found this post useful...

Follow us on social media!

We are sorry that this post was not useful for you!

Let us improve this post!

1
Deixe um comentário

Por favor Login para comentar
1 Tópicos comentados
0 Respostas
0 Seguidores
 
Comentário mais respondido
Comentário mais quente
1 Autores dos comentários
Rodrigo Araujo Autores do comentário mais recente.
  Inscrever-me  
Notifique-me